Ago
10

0


Já são conhecidos os resultados das reapreciações dos exames nacionais: em média, 70% das provas do ensino secundário revistas a pedido dos alunos resultaram numa subida de nota. No exame de Matemática A a percentagem de melhorias foi de 85% e no de Português de 68%.

O número de pedidos de reapreciação das provas de exame do ensino secundário continua a ser reduzido, tal como em anos anteriores. Das 324.600 realizadas na 1.ª fase deste ano, apenas 6112 (1,9%) foram reapreciadas.

Mas pedir para rever a prova, em regra, compensa — em 2017 houve 73% de subidas de nota. E a regra confirma-se uma vez mais este ano, de acordo com os dados fornecidos pelo Ministério da Educação, nesta sexta-feira.

A reapreciação das provas é da competência do Júri Nacional de Exames. Depois de analisados os pedidos dos alunos, houve melhoria de classificação em mais de 4000 provas (70%). Noutros casos, 924 (ou seja, 16%), a nota manteve-se. E houve descida em 8% dos exames.

Recorde-se que este ano as classificações médias dos alunos internos, aqueles que frequentam a escola ao longo de todo o ano, foram positivas nas provas com mais inscritos: Português (média de 11), Matemática A (10,9), Física e Química (10,6) e Biologia e Geologia (10,9).

A média mais fraca registou-se a História A (9,5 valores). Nesta disciplina, 336 alunos dos mais de 19 mil alunos que prestaram provas pediram reapreciação. E 80% conseguiram mesmo uma nota mais alta da que tinha obtido inicialmente.

Recorde-se que a Associação de Professores de História criticou este exame e atribuiu os maus resultados na 1.ª fase ao Instituto de Avaliação Educativa, por ter mudado o tipo de exame e “a cotação de todos os itens” sem aviso prévio. “A tutela não deu qualquer indicação de que estas mudanças iriam ocorrer”, frisou ao PÚBLICO o presidente da associação, Monteiro de Barros. Por essa razão, o exame constituiu “uma surpresa muito desagradável para alunos e professores, que basearam o seu trabalho de preparação em determinadas expectativas, que foram completamente goradas”, acrescentou este professor em Julho, quando os resultados foram conhecidos.

Por ordem decrescente, as provas com maiores percentagens de subida de nota após a reapreciação foram Matemática Aplicada às Ciência Sociais (61 pedidos resultaram em 87% de melhorias), Matemática A (798 pedidos resultaram em 85% de subidas), Geometria Descritiva (149 pedidos, 84% de subidas) e Desenho A (74 pedidos, 84% e subidas).

Os alunos que assim o entenderem podem ainda utilizar as notas resultantes da reapreciação para alterarem as suas opções na 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, cujos resultados serão conhecidos em Setembro. Esta mudança pode ser feita até três dias úteis após a afixação dos resultados da reapreciação.

No ensino básico, o número de provas reapreciadas é mais reduzido (apenas 224 em mais de 188 mil feitas igualmente na 1.ª fase dos exames nacionais), das quais 177 resultaram em melhoria de nota, ou seja, 79%.


Autor: PÚBLICO – Educação




Deixe o seu comentário