Mai
2

0




Depois de anos de especulação, o empresário e cientista australiano Craig Wright desfez o mistério e assumiu ser o criador da moeda virtual bitcoin. A notícia está a ser avançada esta segunda-feira pela BBC, pela GQ e pela The Economist, a quem o australiano revelou a sua identidade. A criação da moeda chegou a ser atribuída a um japonês de 64 anos chamado Satoshi Nakamoto.

Segundo a BBC, Wright, de 45 anos, decidiu dar o passo em frente e revelar a verdade porque entendeu que as incógnitas e a especulação em torno da sua identidade estavam a penalizar o sistema financeiro digital, mas também a sua vida pessoal. A cadeia noticiosa inglesa assegura que o australiano apresentou dados técnicos que confirmam estas informações e assegura que alguns “membros proeminentes da comunidade bitcoin e os membros da sua equipa de desenvolvimento também confirmaram” a identidade da mente por trás da moeda digital. Entre eles, Jon Matonis, o economista que foi fundador da Fundação Bitcoin.

Mas nem todos estão assim tão certos. É o caso da Economist. “Entrevistámo-lo, revimos os documentos que forneceu e falámos com pessoas do sistema bitcoin que falaram com o Sr. Nakamoto no passado e que tiveram a mesma informação”, lê-se no site da publicação norte-americana. “A nossa conclusão é que o Sr. Wright pode muito bem ser o Sr. Nakamoto, mas a dúvida permanece”, acrescenta a The Economist. Para concluir em seguida: “Poderá muito bem nunca ser possível descobrir quem efectivamente criou a bitcoin”.

A revelação foi feita pelo empresário australiano aos três meios de comunicação antes de Wright ter publicado a confissão no seu próprio blogue. Segundo a BBC, Craig Wright assinou mensagens utilizando chaves encriptadas que foram criadas nos primeiros tempos de funcionamento da bitcoin. Estas chaves estão “intrinsecamente ligadas a lotes de moedas que se sabe que foram criadas, ou cunhadas, por Satoshi Nakamoto”, refere a BBC.

“Estes são os lotes usados para mandar dez bitcoins a Hal Finney [um engenheiro que o ajudou a montar o sistema] em Janeiro [de 2009], naquela que foi a primeira transacção de bitcoins”, sublinhou Wright na apresentação aos jornalistas.

Ao longo dos tempos, vários meios de comunicação conduziram investigações exaustivas sobre a verdadeira identidade de Satoshi Nakamoto e o seu envolvimento na criação da moeda digital, apontando vários candidatos a verdadeiros criadores da Bitcoin.

Em Dezembro de 2015, a revista Wired e o site Gizmodo avançaram com o nome de Wright depois de terem recebido documentação que se crê ter-lhe sido roubada e que apontava para o seu envolvimento no projecto.

Pouco depois destas histórias terem sido publicadas, as autoridades australianas fizeram buscas à casa de Wright, mas adiantaram na ocasião que a operação esteve ligada a investigações sobre questões fiscais e não sobre a bitcoin.

O australiano confirmou à BBC que já tem os seus advogados a negociar com as autoridades tributárias australianas sobre “quanto é que tem de lhes pagar”, mas queixou-se que a pior consequência das notícias foi terem posto os focos sobre as pessoas que lhe são próximas.

Essa foi uma das razões por que veio a público, admitiu. “Apareceram uma série de histórias e invenções e eu não quero magoar as pessoas de quem gosto”.

Adiantando que “não quer dinheiro, nem fama”, nem quer ficar conhecido como o criador da bitcoin, Craig Wright, garantiu que, se pudesse, não teria divulgado a sua identidade. “Isto não é escolha minha”, afirmou o australiano aos jornalistas, notando que só quer que o “deixem em paz”.

Actualmente as bitcoins são aceites como meio de pagamento de uma série de bens e serviços. A BBC diz que existem actualmente 15,5 milhões de bitcoins em circulação, cada uma valendo cerca de 392 euros (449 dólares).

Acredita-se que Satoshi Nakamoto (ou seja, Craig Wright, se a história se confirmar) terá reunido cerca de um milhão de bitcoins, o que, convertido em dinheiro, lhe garante um património de 392 milhões de euros.




Autor: Publico.pt – Tecnologia




Deixe o seu comentário