Jun
20

0


20.06.2012 – 18:25 Por Clara Viana

A Associação Portuguesa de Professores de Biologia e Geologia considerou esta quarta-feira que o exame da disciplina realizado ontem pelos alunos do 11.º ano parte “de suportes documentais excessivamente longos, complexos e de difícil interpretação, particularmente para o quadro conceptual de examinandos” daquele ano de escolaridade.


Num parecer divulgado hoje, a associação chama a atenção para o facto de a prova ter “uma menor quantidade de itens que entendemos mais acessíveis, geralmente destinados a avaliar competências/conteúdos básicos da disciplina”, situação que “compromete o equilíbrio entre as avaliações internas e externas e até a aprovação na disciplina para alunos admitidos a exame com classificações mais baixas”.

No ano passado, a média de Biologia e Geologia foi a melhor em cinco anos de exames na disciplina. Pela segunda vez o resultado foi positivo. A associação atribuiu o facto à existência de questões que permitiram “ a um aluno que tenha as competências básicas ficar com 10 valores no grupo mais fácil, o que antes não sucedia”.

O exame deste ano voltou a descartar esta possibilidade. Apesar de considerar a prova “equilibrada”, a associação considera também que incidiu “sobre um conjunto de conteúdos reduzido” e “pouco representativo da abrangência dos programas”. Quanto às imprecisões em dois gráficos, corrobora que estas não são pertinentes para a resolução dos itens em causa, confirme o Gabinete de Avaliação Educacional, responsável pelos exames, já ontem garantira.




Deixe o seu comentário